5,9 milhões não seguiam o distanciamento social na 1ª semana de setembro

O número de pessoas que não tomaram nenhuma medida de restrição para evitar o contágio pelo novo coronavírus subiu para 5,9 milhões na primeira semana de setembro, chegando ao maior patamar desde que o IBGE começou a coletar esse dado, no início de julho. Na semana anterior, eram 5,0 milhões. A informação é da edição semanal da PNAD COVID19.
Do mesmo modo, continuou diminuindo o grupo de pessoas que ficou rigorosamente isolado (37,3 milhões), uma queda de 1,6 milhão, na comparação com a última semana de agosto. Desde o início de julho, esse grupo mostrou redução de 10,6 milhões de pessoas.
A maior parte da população (86,4 milhões), contudo, ficou em casa e só saiu por necessidade na primeira semana de setembro. Esse número, porém, teve redução de 2,2 milhões na comparação com a semana anterior. Por outro lado, aumentou em 3,6 milhões o número de pessoas que reduziu o contato, mas continuou saindo de casa ou recebendo visitas (80,7 milhões).
“Esse comportamento da população reflete a flexibilização das medidas de distanciamento social, com a retomada das atividades econômicas. A maioria da população, contudo, ainda está tomando alguma medida contra a Covid-19, mesmo que menos restritiva”, disse a coordenadora da pesquisa, Maria Lucia Vieira.  *IBGE

 

Redação

Portal Brasil Empresarial: Notícias sobre a economia, o Brasil, empresas e empreendedores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *