Os números dos empregos na Austrália que estão nos sonhos dos brasileiros

Os estudos indicam que a Austrália segue um movimento contrário ao fechamento de fronteiras em outros países, como os Estados Unidos.
O discurso do DoHA contribuiu principalmente para dissipar anseios de que a Austrália tenderia a frear por completo o incentivo à imigração.
A Organização para o Desenvolvimento Econômico (Organisation for Economic Development – “OECD”) divulgou em seu mais recente relatório que o número de imigrantes aos países do OECD aumentou para 5.3 milhões em 2018, um aumento de 2% em relação ao ano de 2017. O relatório também revelou que a imigração para a mão de obra temporária cresceu significativamente em 2017, e a Austrália estava na lista dos 10 primeiros países do OECD que recebeu os profissionais em caráter temporário, com mais de 400.000 trabalhadores que conseguiram emprego na Austrália.
Há 28 anos crescendo ininterruptamente, a Austrália desenvolveu um programa generoso com o intuito de atrair profissionais estrangeiros e brasileiros interessados em conseguir os direitos de trabalho no país, pois empregos na Austrália não faltam.
Por sua vez o porta-voz do Departamento de Imigração da Austrália (DoHA/ Departament of Home Affairs) reforçou na mídia local a importância de sua política imigratória como vetor de desenvolvimento humano e crescimento econômico. Os estudos indicam que a Austrália segue um movimento contrário ao fechamento de fronteiras em outros países, como os Estados Unidos.
De forma geral, a sociedade australiana valoriza a participação dos imigrantes nas características populacionais da Austrália e no vigor econômico nacional. Grupos imigrantes específicos são rotineiramente mencionados na imprensa local como responsáveis por definir determinadas vocações produtivas e culturais em partes significativas do país.
O discurso do DoHA contribuiu principalmente para dissipar anseios de que a Austrália tenderia a frear por completo o incentivo à imigração. Ao contrário disso, o DoHA reafirmou o papel dos imigrantes na prosperidade econômica do país. Somente na última década, 59% do crescimento populacional foi garantido pela chegada de estrangeiros, afirma o DoHA. E nos últimos 40 anos, fatores populacionais (com ênfase na imigração) contribuíram com 18% do crescimento anual médio de 1,7% na renda per capita do australiano.
Atualmente, a população é integrada por imigrantes de aproximadamente 300 diferentes origens, o que indica uma diversidade cultural (com a prática de pelo menos 100 religiões) e linguística (cerca de 300 línguas faladas no país). As capitais de estados concentram 83% da população estrangeira nacional. No caso de Sydney, Perth e Melbourne, 40% da população nasceram em outro país.
“O programa de imigração para a Austrália continua com ótimas oportunidades para que brasileiros qualificados trabalhem e morem no país para obterem a tão sonhada residência permanente”, opina o agente de imigração MaCson Queiroz JP. Ele é fundador e diretor da M.Quality, única agência brasileira de imigração e negócios com mais de 18 anos de atuação na Austrália.
O recomendável é que os interessados neste programa de imigração para a Austrália assegurem-se ao certificarem a informação que necessitam está correta, conversando antes com quem possa dar-lhe um seguro e garantia de tudo o que diz ser real e verdadeiro e em escrito para evitar perdas financeiras e frustrações. “Nós não fazemos propaganda enganosa, pois adquirindo conosco mesmo sendo um simples intercâmbio de estudos para a Austrália com apenas 3 meses de duração, vem obrigatoriamente com um seguro contra fraudes legalmente garantido pelas autoridades. Este seguro é totalmente legislado pelo OMARA (“Office of the Migration Agents Registration Authority” – uma espécie de secretaria de defesa e proteção aos direitos do consumidor criado pelo governo australiano)”, explica o diretor da M.Quality.
O processo de intercâmbio com propósito de obter uma residência permanente na sua conclusão exige uma consultoria imigratória planejada meticulosamente. Uma consultoria imigratória oficial passa inicialmente por entrevistas que avaliam o perfil individual ou empresarial e indicam a modalidade de visto mais adequada a cada solicitante. Informações completas acerca do contexto australiano e das oportunidades ofertadas pelo DoHA (responsável pela política de migração) podem ser encontradas no portal da M.Quality (http://www.mquality.com.br/ ).
Sobre a M.Quality – A M.Quality é uma empresa de assessoria em imigração, negócios e intercâmbio especializada em processos de visto para a Austrália. Fundada em 2001, é a única agência brasileira do setor que possui licença validada pelo governo australiano há mais de 18 anos. A M.Quality (http://www.mquality.com.br/ ) foi criada na Austrália e no Brasil por meio do empreendedorismo de MaCson Queiroz JP, engenheiro eletrônico pela Escola de Engenharia Mauá (SP), ex-instrutor do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI/SP) e reconhecido consultor imigratório no país. Com sede em Sydney, a empresa possui também escritório em São Paulo. Seu portal tornou-se uma das mais procuradas fontes seguras de informação sobre imigração e empreendedorismo para a Austrália entre brasileiros e latinos.

Divulgação

 

Redação

Portal Brasil Empresarial: Notícias sobre a economia, o Brasil, empresas e empreendedores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *