Mercado de infoprodutos impulsiona startups digitais

Com oportunidades exponenciais, o mercado digital favorece o surgimento de novos players. No Brasil, a expectativa é que a publicidade digital movimente R$ 20 bilhões em 2019

 

“O investimento em mídias digitais crescerá 12% ao ano até 2021, superando outras formas de publicidade, como televisão, por exemplo”

 

Os números apontam que o mercado digital é o setor que mais cresce no Brasil e no mundo. Segundo a pesquisa Digital Adspend 2018 da IAB Brasil – Interactive Advertising Bureau -, a publicidade digital no Brasil movimentou R$ 14,8 bilhões em 2017 e cresceu 25,4% sobre o ano anterior. Em 2018, esse número atingiu R$ 18 bilhões e a expectativa para 2019 é que ultrapasse a cifra de R$ 20 bilhões.

Ainda, a 18ª Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia 2017-2021, realizada pela PricewaterhouseCoopers (PwC), em 54 países, mostrou que o investimento em mídias digitais crescerá 12% ao ano até 2021, superando outras formas de publicidade, como televisão, por exemplo. No Brasil, os números apontam que o segmento digital já representa um terço do total investido na área.

Atentos a transformação no perfil do consumidor e no potencial da internet, diversos empreendedores sacaram as oportunidades deste segmento que, hoje, tem três pilares: Produtores (criadores de infoprodutos), Plataforma de Negócios (empresas que funcionam como lojas / prateleiras virtuais, fazendo a comercialização e monetização dos produtos digitais) e os afiliados (vendedores que incentivam o consumo de infoprodutos e são comissionados pelas vendas).

Explorar uma especialidade e vender conhecimento tornou-se um negócio extremamente rentável. Seja por meio de e-books, áudio-books, vídeo aulas, podcasts etc., um infoproduto despertará o interesse de centenas de pessoas com interesses afins e que buscam solucionar problemas ou, ainda, aperfeiçoar habilidades.

Mas, desenvolver um conteúdo para ser vendido, é apenas o primeiro passo. Depois disso, é preciso contar com ferramentas para fazer a distribuição dos produtos digitais, intermediação, processamento das vendas e pagamentos, além do repasse do valor. Atualmente, existem quatro empresas de monetização no mercado, sendo elas: TurboMKT, Hotmart, Monetizze e Eduzz.

A pessoa que tem um infoproduto precisa se cadastrar em uma destas plataformas digitais e, por meio da área de membros, disponibilizar o arquivo do conteúdo a ser comercializado. “No nosso caso, todo o sistema é integrado com as principais ferramentas de e-mail marketing do mercado, o que facilita as ações de divulgação dos produtores. Contamos com o processo de pagamento da maior gateway independente do Brasil, a VINDI – que já processou mais de R$ 1 bilhão de reais em transações avulsas e recorrentes. É um sistema seguro e robusto”, falou o CEO & Founder da TurboMKT – Plataforma de Negócios Online, Edson Moreira.

Com a mesma velocidade que produtos digitais são vendidos diariamente, as plataformas de negócios online precisam ser criativas, proativas e satisfazer as necessidades dos Produtores. “A utilização de todas as ferramentas da TurboMKT é gratuita. A monetização é feita apenas quando ocorre uma venda, ou seja, o produtor só será cobrado quando vender, e essa taxa é um pequeno percentual do valor da transação, a qual pode ser feita via cartão de crédito ou boleto bancário.

Após 30 dias depois da venda aprovada, o produtor pode efetuar o saque do seu saldo, que é transferido em até três dias”, explicou Moreira, afirmando que o mercado é promissor e a TurboMKT cresce a uma velocidade exponencial. “Nossos números mostram que triplicaremos de tamanho em 2019, e as tendências para 2020 e adiante, são muito positivas”, salientou. A empresa está com dezenas de vagas em aberto e em fase de expansão.

Além de uma plataforma de negócios

Por acreditar no potencial dos negócios digitais e enxergar nos produtores grandes parceiros de mercado, a TurboMKT oferece o Programa de Aceleração Digital. Gratuitamente, o produtor conta com uma equipe de especialistas da empresa que ajudará a criar o seu produto digital, bem como toda a estratégia envolvida na divulgação, desde a ideia até o início das vendas.

“O objetivo é provocar as pessoas e incentivá-las a tirar uma ideia do papel. É possível fazer com que o conhecimento de um único indivíduo, ajude milhares de pessoas; e o melhor, com uma remuneração surpreendente”, declarou Moreira, que pontuou. “Quanto mais ajudarmos essas pessoas, mais produtos serão lançados, mais usuários serão impactados com o conteúdo e, assim, criarmos uma corrente do bem”, encerrou.


Divulgação

Redação

Portal Brasil Empresarial: Notícias sobre a economia, o Brasil, empresas e empreendedores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *